Blog

Lembrar para deixar viver

13 de julho de 2017
Nenhum comentário

Olá mamãe! Me permita usar minha própria experiência materna, para lembrar junto com você que também é mãe.
Quando fui mãe pela primeira vez e passei pela dor física do parto, não imaginei tendo outro filho. Até ali já tinha conhecimento suficiente para não repetir a experiência. Sabemos, a dor é grande, e ainda me questiono. Como alguém sobrevive a isso gente?
Mas, depois o tempo passa e o amor que nos envolve com aquele pequeno ser, nos faz esquecer toda aquela dor. E quando menos se espera, você está se programando para ser mãe novamente.
Pelo menos comigo, foi assim!

Lembrar ajuda

Com minhas duas fortes experiências e algumas mais que vivi. Posso afirmar que, quando nossos filhos vão para esta fase tão desafiadora da adolescência, o esquecimento de quando tínhamos a mesma idade, é acionada em nosso cérebro. Essa é a única explicação que encontro.
Por que não lembramos as nossas dificuldades e conflitos dessa época? Seria bem mais fácil de compreender e lidar com tudo isso se a gente lembrar da nossa própria adolescência, mas isso é difícil de acontecer.
Agora, a posição de pais nos faz deletar que dentro de nós tem um adolescente, ou melhor, tinha um. Claro, apesar da semelhança, com experiências e desafios diferentes. Mas mesmo assim, não deixamos de ser um e quando me pego dando atenção a pais que se esqueceram disso, meu coração grita.

O que foi diferente?

Ser adolescente não é ser “aborrescente“, ou qualquer outra coisa impossível de lidar que possa passar pela sua cabeça. Isso me irrita!
Eles são indivíduos em formação, crianças sem fraldas e com opiniões próprias. Adultos sem responsabilidades determinadas, mas, com muita atenção aos detalhes, é assim que os defino, e vem dando certo.
Então quero deixar uma dica bem legal aos pais e cuidadores de adolescentes.
Respeite a criança adulta que esta a sua frente. Desculpar-se é um caminho seguro para começar. Lembre-se que eles não sentem o que sai da boca, mas, o que vem do coração. Eles sabem fazer essa leitura de uma forma fantástica. Reflita, até agora eles passaram todo o tempo ao seu lado, se especializando nessa habilidade.
Dar orientação de coisas que o coração não está dizendo, não dá certo. Pedir para que ele seja o melhor organizador de quartos do mundo, mas, sempre ter as suas coisas bagunçadas não é o melhor tipo de exemplo a ser seguido. Não é mesmo?
Seu adolescente precisa de direção, forte e segura. Se você que o ensinou a dar os primeiros passos não se responsabilizar por isso, quem vai?

Procure conquista-lo

Então, conquiste a confiança do seu adolescente, tenha isso como uma missão, um objetivo e você será recompensado.
Compartilhar tudo com ele, o trás para mais perto. Com sabedoria, permita que seu jovem o veja como uma pessoa normal, que erra, chora e depois o protege como seu cuidador. Eles precisam se sentir seguros.
Lembrar e resgatar os sentimentos da sua adolescência é se colocar no lugar dele. Segure a onda com as suas cobranças. Para tudo há atalhos e bons caminhos, basta encontra-los.
Acho que já falai demais, Mas é assim que estou caminhando. Cada tópico desses, daria para escrever um livro.
Adoraria continuar compartilhando minhas experiências e saber das suas. Portanto, deixe sua história e juntas vamos criar pais e adolescentes felizes da vida.
Gostou do texto? Acha que ele pode ser importante para seus amigos? Compartilhe em suas redes sociais. Também tenho outros artigos em meu Blog que podem te interessar.
Se você me permitir. Até a próxima!
Adriana Oliveira

COMENTÁRIOS:

Nenhum comentário foi feito, seja o primeiro!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*